ZÓIA
ZÓIA
Rio de Janeiro

Arte, design e sustentabilidade são os pilares da ZÓIA, marca brasileira de acessórios contemporâneos criada em 2007 pela designer Vanessa Wagner, que busca com seu trabalho quebrar paradigmas e sensibilizar as consumidoras com o seu conceito  da "SustentHABILIDADE Criativa".

“Nem tudo que é criativo é sustentável, mas tudo que é sustentável é criativo pela nossa necessidade maior de mudança de atitudes, paradigmas e sobrevivência do planeta. Dessa forma, o primeiro passo é a consciência,  o começar a fazer alguma coisa.” – diz, acrescentando que eficiência e sobrevivência são as outras ideias subsequentes atreladas a este processo.

Nestes dez anos de existência, transitando entre o design, a moda e o fazer manual apurado, sempre permeada pela questão da sustentabilidade, a ZÓIA vem sendo reconhecida não só pelas clientes como pelo mercado. Em 2016 conquistou o selo TOP100 de Artesanato, promovido pelo Sebrae Nacional, como uma das unidades produtivas de referência de um artesanato brasileiro de qualidade. Em 2015, recebeu na categoria INOVAÇÃO EM DESIGN, o Prêmio V.I.É.S MODA, promovido pelo Governo do Rio e pelo Instituto Europeu de Design para ações sustentáveis na moda e em 2012, na categoria MODA e INOVAÇÃO, o Prêmio Brasilidade, promovido pelo Sebrae para empresas com ações de impacto sustentáveis.

O conceito ZÓIA surgiu ainda na Incubadora do Instituto Gênesis da PUC-Rio, para representar um  fazer artesanal otimizado, aliado à identidade em design e ideias de sustentabilidade. Desde então a marca cria produtos com materiais transformados que impactam não só pela estética mas também pela consciência dos hábitos de consumo em prol de um mundo mais simples e diferente.

As coleções surpreendem pelo uso diversificado de materiais como cápsulas de café recicladas, tetrapak, chapas de raio-x tratadas e papelão, têm a cerâmica plástica presente nas diversas linhas de produtos (“Resíduos Urbanos”, “Novos Usos” e “Ideias”), conferindo autoria à marca.

O nome ZÓIA, que significa “vida” em grego, representa ainda o desafio da transformação e a ressignificação de materiais presente na sua proposta, produzindo identificação imediata entre as consumidoras. Afinal como diz Vanessa Wagner: “Nem jóias nem bijuterias. Criamos Zóias."